quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Meu namorado é crossdresser e isso me deixa insegura

Você já tentou se colocar no lugar de uma mulher que descobriu que o companheiro dela é crossdresser? Seja em uma relação recente ou de longa data, imagino que as questões que aparecem na cabeça delas sejam similares.

O texto a seguir eu encontrei no fórum "Meu parceiro(a) é trans" do Reddit. Ele foi escrito por uma mulher cis relatando as inseguranças dela a respeito do namorado crossdresser e buscando ajuda de outros internautas. Já ouvi relatos muito parecidos e achei que seria interessante trazer o texto para reflexão. Na sequência eu pontuei algumas respostas.

Traduzido de Reddit - My partner is trans

Estou com meu namorado há uns dois anos e meio e nós moramos juntos. Talvez depois de dois meses de relacionamento ele me disse que gosta de crossdressing, e não vi nada de novidade na situação. Ele só usa roupas femininas em casa - até o momento, mas diz que se identifica fortemente com seu lado feminino e gosta de ser tratado no feminino quando está montado.

Em teoria, eu aceito o crossdressing dele, mas às vezes isso me deixa muito insegura comigo mesma e com nosso relacionamento. Também me sinto isolada - nunca contei a ninguém, acho que muita gente não entenderia, e sempre que tento falar sobre minhas inseguranças com meu namorado ele leva para o lado pessoal e trata como se eu fosse contra seu crossdressing... No entanto, há aspectos positivos no crossdressing também, e percebi que o maior problema é a minha insegurança.

Pontos positivos (do meu ponto de vista):

• Ele é delicado, sensual e o sexo pode ser ótimo!

• Falar coisas femininas é divertido, assim como ir às compras, maquiar etc.

• O crossdressing faz parte dele, ele está em uma jornada de autoconhecimento há vários anos e é incrível ver como ele se entende melhor e se torna mais confortável para se expressar. Eu sinto que isso o torna uma pessoa mais feliz.

Pontos negativos:

• Não tenho com quem conversar. Alguns dos amigos dele sabem e ele sugeriu que eu conversasse com eles, mas preciso falar com alguém que me conhece como indivíduo e não como namorada dele;

• Quando ele se monta, ele passa muito tempo se olhando no espelho e tirando selfies. Eu não sinto que ele está presente e quando fazemos sexo assim parece que ele está excitado sozinho e não por mim. Ele fica se olhando no espelho o tempo todo. Já mencionei isso várias vezes e até começamos a brigar por causa disso. Ele explicou que precisa se ver para se sentir feminino.

• Não me sinto tão feminina como antes. Eu o vejo excitado sozinho com cílios postiços e salto alto e eu sinto que meu eu normal do dia a dia já não é mais suficiente para ele. Também sei que ele tem fantasia de fazer sexo oral e isso às vezes me leva a um ponto em que sinto que nunca poderei ser boa o suficiente para ele porque não tenho um pau. No entanto, ele diz que está satisfeito com o sexo que fazemos.

• Sinto falta de fazer sexo com ele como um cara e de ser a gostosa para ele. Era assim o tempo todo quando nos conhecemos e agora está ficando cada vez mais raro. O sexo também é bom quando ele está travestido, mas é diferente.

• Ele pretende compartilhar esse lado de si mesmo com outras pessoas, principalmente com outros crossdressers que ele está tentando conhecer online. Isso ainda não aconteceu, mas sei que muitas mensagens foram enviadas. Agora ele é muito aberto sobre isso e quer que eu esteja com ele, mas eu me sinto como uma mulher cisgênero heterossexual (ou bicuriosa), eu não seria relevante nesse tipo de reunião.

• Ele está passando por um processo de descobrir quem ele é e como deseja expressar sua feminilidade. Isso ocupa muito espaço em nossa vida e às vezes sinto que minha sexualidade, sentimentos e desejos não importam tanto quanto os dele.

Como você provavelmente pode perceber, tenho muitas inseguranças. (Eu também tive alguns problemas familiares na minha infância que me tornou insegura em outras áreas da minha vida). Eu quero trabalhar isso, porque eu o amo muito e fora esses problemas nosso relacionamento é ótimo. Eu simplesmente não consigo mais fazer isso sozinha. Tenho consultado um terapeuta, mas ele é tão conservador que nunca me senti confortável em mencionar o crossdressing do meu namorado. Eu realmente aprecio qualquer um que compartilhe experiências semelhantes ou conselhos sobre como lidar com isso.

Bom, primeiramente ressalto que existem diversos tipos de vivências relacionadas à crossdressing (confira aqui), mas muitos pontos apontados por ela são bem comuns. Aparentemente o rapaz se aventurou no crossdressing a pouco tempo e está se descobrindo neste mundo feminino.

Ainda assim, acho que ela tem todo o direito de se sentir insegura com a situação. Então vou pontuar algumas questões que são relativamente normais na vida de um crossdresser para tentar mostrar um pouco o nosso lado para as mulheres:

"Ele fica se olhando no espelho o tempo todo"
Pois é, vaidade bate em cheio quando um homem que foi reprimido a vida inteira consegue se montar e se admirar uma vez ou outra na frente do espelho. Principalmente quando estamos em fase de descoberta isso acontece bastante. Até vale lembrar que o homem é mais afetado pelos estímulos visuais. Mas saiba que isso não é característica exclusiva de crossdresser... você já viu um rapaz musculoso na academia se admirando no espelho? O sentimento é quase o mesmo, mas uns caras preferem admirar o seu abdômen trincado enquanto outros preferem ver a bunda empinada quando está em cima de um salto. Na real é bom que ele tenha essa capacidade de se admirar um pouco, isso ajuda na autoestima. Só achei complicado ela falar que isso acontece até quando eles vão para cama, será que ele só se excita quando se monta? Aí eu também ficaria preocupado.

"Não me sinto tão feminina como antes"
Às vezes até eu fico indignado com o nível de feminilidade que alguns crossdressers querem alcançar. Conheço gente que não se contenta só com roupas, mesmo que seja só para ficar em casa tem que ter roupa, salto alto, depilação, meia calça, maquiagem de festa, unha postiça, enchimentos e corset afinando a cintura para começar a se sentir bonita. Aí qualquer mulher que não faz tanta questão de parecer com a boneca Barbie perfeita que a mídia vende acaba se sentindo menos feminina quando o namorado busca fazer uma montagem no nível das drags do programa RuPaul Drag Race. Não se deixe levar por isso, provavelmente ele esteja buscando essa imagem de boneca ou ele não se sente confiante com o básico e precisa desse exagero.

"Sei que ele tem fantasia de fazer sexo oral e isso às vezes me leva a um ponto em que sinto que nunca poderei ser boa o suficiente"
Esse é um ponto complicado. Pode ser apenas uma fantasia sexual que ajuda na excitação dele ou pode ser um desejo reprimido. Fica ainda mais difícil de avaliar em tempos em que a pornografia está a um clique de distância. Aqui vale mesmo vocês conversarem e se entenderem. Como sugestão para o caso a mulher poderia adotar uma postura dominante e proporcionar a experiência com um consolo, o casal pode buscar terceiros para participar da vida sexual deles ou pode deixar ficar apenas na imaginação mesmo. Não existe regra, o que precisa é conversa e consentimento.

"Sinto falta de fazer sexo com ele como um cara e de ser a gostosa para ele"
Relacionamento precisa de equilíbrio. Se o cara tem a necessidade de se montar para ficar excitado e a mulher não é muito fã da situação, provavelmente a vida sexual dos dois não será compatível. Os dois lados precisam ceder um pouco para chegar em um acordo. Conheço um casal em que a mulher virou definitivamente a ativa e o homem o passivo, eles dizem que foi a melhor coisa que aconteceu para eles. Também conheci outro casal em que a mulher aceita o crossdressing dele como um hobby e não faz nenhuma questão de incluir isso na vida sexual do casal. Pode não ser o caso de vocês, mas vocês precisam chegar em um acordo em conjunto.

"Ele pretende compartilhar esse lado de si mesmo com outras pessoas"
Humanos são seres sociáveis e esse tipo de interação com certeza vai ajudar na autoaceitação dele. É normal ele querer conhecer outros crossdressers tanto online quanto na vida real. O problema aqui talvez seja que nem sempre é seguro ter uma vida aberta como crossdresser. É muito relativo. Eu mesmo mantive o meu crossdressing em segredo para todo mundo até os meus 25 anos de idade. Hoje a história é diferente, mas eu passei por um longo processo de aceitação e desenvolvimento pessoal e atualmente o meu estilo de vida me permite ter essa abertura.

"Ele se identifica fortemente com seu lado feminino e gosta de ser tratado no feminino"
Não ficou apontado como um medo dela, mas sei que muitas mulheres ficam inseguras com essa questão da identidade dele. Será que ele só se monta de vez em quanto ou gostaria de ser uma mulher trans? Será que ele é homossexual ou bissexual? Será que tem algo mais? Bom aqui não existe resposta. É muito provável que nem ele saiba essas respostas. É importante que ele tenha liberdade para buscar se encontrar e seria ótimo ter o apoio emocional da companheira. Quem sabe também o apoio psicológico de um profissional. Nesse post tem mais informações a respeito de identidades de gênero.

Contudo, não esqueça que ela começou falando bem da relação deles. A lista dos pontos positivos pareceu curta, mas tem pontos muito interessantes. Ser delicado é ser empático com as mulheres, também significa ser vaidoso e viver sem medo de ser feliz. A amizade do casal também pode ser fortificada quando o homem pode acompanhar a mulher em atividades sem restrições bestas e tem a mente aberta para conversar sobre qualquer assunto. Até porque amizade eu acho extremamente importante em uma relação de longo prazo. E, claro, ela também fala bem do sexo.

Por fim um recado importante: saiba que se ele abriu para você esse lado feminino, que provavelmente estava guardado a sete chaves, você pode ter certeza que ele confia plenamente em ti e irá fazer o possível para te deixar o mais confortável possível ao lado dele.

0 Comentário(s)
Comentário(s)

Nenhum comentário: