quarta-feira, 12 de junho de 2024

Meu obituário transgênero

Todas as fotos deste ensaio foram tiradas no Cemitério Green Mount,
em Montpelier (Vermont, EUA) pela autora.

Traduzido de Kasey Phipps

Por que as pessoas trans temem funerais e por que estou abraçando o meu. 

Tenho tido problemas para escrever o meu próprio obituário.

Não que eu esteja esperando morrer tão cedo. Sinto que, sendo alguém que está nos estágios iniciais da transição, é um exercício útil.

Fiquei emocionada ao fazer isso depois que uma mulher trans da minha região foi morta tentando ajudar um estranho. Embora sua família, seu local de trabalho e sua cidade a conhecessem como essa mulher incrível, os relatórios policiais e a cobertura da mídia citavam o seu nome masculino e a tratavam como homem. Já é bastante desrespeitoso fazer essas coisas em vida, mas na morte isso assume um novo nível de insulto.

Ler sobre isso despertou em mim um novo medo, que aparentemente é muito comum em pessoas trans. Como serei honrado quando eu morrer? Mais especificamente: como será o meu funeral?

quarta-feira, 15 de maio de 2024

Explorando os estágios da evolução transgênero

Traduzido de Salina Brett

“Como é ser transgênero?”

A sensação de ser transgênero é tão variada que é praticamente impossível dividi-la em algumas categorias. No entanto, existem experiências que são muito comuns entre pessoas com disforia de gênero, que seria um “sofrimento psicológico que resulta de uma incongruência entre o sexo atribuído no nascimento e a identidade de gênero”.

Todos os dias, milhares de pessoas buscam informações sobre a disforia de gênero, desde pais com filhos em busca de um gênero, familiares, parentes e pessoas que estão vivenciando essa experiência. No meu caso, sou uma mulher transgênero em plena transição que está envolvida em funções de defesa LGBTQIA+ há vários anos. Conheci pessoas de todas as idades e de diversos locais que compartilharam suas experiências de gênero comigo. Também sigo vários escritores do Medium que são abençoadamente abertos e honestos sobre suas experiências pessoais. O texto que escrevi abaixo é baseado na minha própria pesquisa e experiência. Minha intenção é fornecer um guia, uma referência, algo para evocar reflexão e consideração e encorajar todos os meus irmãos e irmãs que buscam seu gênero por aí. Claro que não pretendo dizer “a palavra final”. Ainda há muito desconhecimento sobre a experiência transgênero, tanto médica quanto psicológica.

Uma observação final antes de chegar ao cerne da questão: as jornadas de gênero não são lineares, elas são fluidas. O vento ao redor flui e derrama e cria redemoinhos e redemoinhos e quedas. Reuni minhas informações para ajudar outras pessoas a entender o que é ser transgênero, não para criar um roteiro com algum destino final. A jornada de uma pessoa termina quando e onde ela deseja.

Com esse prelúdio, apresento a seguir os três estágios da evolução transgênero: descoberta, transição e resolução.

terça-feira, 14 de maio de 2024

Assine meu Patreon e ganhe acesso exclusivo às minhas fotos

O blog O Homem Feminino está ativo e operante desde 2015 com diversas informações, histórias, dicas e fotos sobre esse universo feminino que tanto admiramos e sou muito grato por poder estar a frente deste projeto que já ajudou inúmeras pessoas. Me dedico nas horas minhas livres e mantenho esse espaço afastado de propagandas que possam atrapalhar a sua busca por informações objetivas, mas muitas vezes não consigo separar tempo suficiente para me dedicar a escrever e fotografar por estar trabalhando pesado.

Sendo assim, decidi abrir uma página no Patreon para captar apoio para manter o blog ativo e exibir as fotos dos meus ensaios pessoais.

Clique aqui para apoiar o blog e ganhe acesso exclusivo aos meus ensaios

segunda-feira, 13 de maio de 2024

Minha Lojinha de Roupas

Visite a minha lojinha

Olá meninas! Vocês já devem ter notado que eu adoro o mundo da moda e sempre estou atualizando o meu armário. No entanto, o meu espaço é finito e está começando a ficar apertado. Então decidi abrir uma lojinha no site Enjoei pra vender algumas roupas de homem feminino que estão sobrando por aqui. Tenho sapatos no número 42 e roupas com cortes que servem bem em corpos masculinos. Clique aqui e confira as peças que já estão online.

quarta-feira, 10 de abril de 2024

Minha jornada crossdresser: quando a masculinidade interfere na vida pessoal

Traduzido de Destarte

Já te adianto que este não é um post sobre masculinidade tóxica. Não sou do tipo que critica homens que são muito masculinos. Acho até que eles têm o seu lugar na sociedade. Trata-se mais a respeito das normas sociais esperadas que tendem a atrapalhar a nossa vida cotidiana.

Estou numa idade em que a minha barriga está muito grande e minha bunda está muito pequena para manter minhas calças confortavelmente no lugar. Então, eu uso suspensórios (o que eu odeio). Em seguida, adicione o incômodo de ter sua carteira, chaves, telefone, etc, em suas calças cargo, o que adiciona peso puxando suas calças para baixo. A solução mais simples? Uma bolsa masculina. Então por que existe um estigma em relação a um homem carregando uma bolsa? Por que é considerado pouco masculino um homem carregar um dispositivo que lhe permite armazenar suas coisas com segurança? Não faz sentido na nossa sociedade que isso seja considerado errado pela população em geral.

Outra coisa que enche o saco são as cores. Por que "homens de verdade" não podem usar rosa? Sim, eu sei que tem homens que usam camisas rosa, mas, via de regra, os homens não usam rosa ou qualquer outra cor considerada feminina. Não devemos permitir que algum código masculino dite o que vestimos ou como seremos percebidos se os usarmos.

quarta-feira, 27 de março de 2024

Crossdressing além do armário

Traduzido de Kathi Rei

Nos recantos tranquilos das nossas vidas, muitas vezes há partes de nós mesmos que anseiam por se libertar, por respirar além dos limites do nosso curto entorno. Para alguns, esta libertação surge na forma de quebrar normas sociais, transcender as expectativas de gênero e encontrar consolo na auto-expressão. O ato de se aventurar com roupas que desafiam as normas tradicionais de gênero pode ser ao mesmo tempo estimulante e assustador. No entanto, é um passo para acolher a forma mais verdadeira da identidade de alguém.

A experiência de vestir roupas que podem não estar de acordo com o seu gênero pode ser um exercício profundo de auto libertação. A sensação do tecido macio contra a pele, o andar gracioso e os gestos alegres podem encapsular uma sensação de autenticidade que pode estar confinada dentro das paredes de nossas casas. Há uma beleza profunda neste ato – uma expressão genuína do desejo da alma de se libertar das restrições das expectativas da sociedade.

No entanto, esta forma de auto-expressão muitas vezes traz consigo o seu próprio conjunto de desafios. O medo de julgamento, os estigmas sociais e o risco de enfrentar o preconceito podem ser grandes. É um passo corajoso, que exige não apenas a aceitação pessoal, mas também a aceitação coletiva de um mundo que ainda está a aprender o espectro da diversidade humana.

quarta-feira, 13 de março de 2024

Criando coragem para sair em público de saia sendo homem

Traduzido de Alex Seifert

Um homem que decide usar saia, vestido, salto alto ou qualquer peça de vestuário considerada como roupa feminina pela sociedade, precisa ter uma certa dose de confiança, atitude rebelde e independência. Para muitos homens é inimaginável essa situação, mesmo que eles gostem de usar essas roupas em casa e tenham vontade de poder usá-las fora de casa.

Criar coragem para usar essas roupas em público pode ser resumido em um único ponto básico: confiança. Você precisa estar confiante de si e se sentir confortável ao usá-las para conseguir isso. Também é algo que requer prática, mas ajuda se você estiver preparado para as reações dos outros em público.


Reações

As primeiras vezes fora de casa tendem a ser difíceis porque a maioria de nós sente uma necessidade profunda de aprovação das outras pessoas e tem medo de reações negativas. Ir contra a corrente geralmente não garante a aprovação que desejamos.

Dito isto, quando você sai de casa, qualquer nervosismo eventualmente diminui quando você percebe que nada vai acontecer com você. No início, você terá vontade de se esconder nas sombras para que ninguém possa vê-lo, mas a realidade é que a maioria das pessoas nem presta atenção em você.

Das poucas pessoas que irão perceber, a maioria não se importa o suficiente para dizer ou fazer qualquer coisa. Eles podem ficar surpresos ou levantar as sobrancelhas, mas fariam o mesmo se você estivesse vestindo uma fantasia de palhaço: eles fazem isso porque ficam surpresos ao ver algo incomum.

Se alguém disser algo, entretanto, é bem provável que seja algo positivo. Na minha experiência, encontrei várias mulheres que elogiaram a minha roupa e a minha coragem de usar salto alto ou saia em público. Até agora, todos os elogios que recebi foram de mulheres. Não creio que os homens pensem necessariamente de forma negativa sobre isso, mas eles foram condicionados a acreditar que elogiar a roupa de outro homem é algo considerado “gay” ou alguma outra bobagem – basta pensar em como os meninos tratavam uns aos outros na escola primária. Eles provavelmente não te elogiariam nem se você estivesse vestindo um terno elegante, hiper-masculino e feito sob medida.

Infelizmente, ainda haverá um mau caráter ocasional que sente que precisa lhe dizer como você não se vestir. Essa pessoa pode lançar insultos contra você ou perguntar se você está tentando ser mulher, mas isso é uma forma de insegurança da parte dele ou uma maneira grosseira de tentar entender o que está vendo.

Para lidar com uma reação negativa, é importante entender de onde vem essa pessoa e por que está reagindo negativamente. Na minha experiência, eles se enquadram em duas categorias: são inseguros ou totalmente confusos.

Muitos homens são inseguros em sua masculinidade, apesar de darem a impressão de que são extremamente confiantes. Esses são os tipos que ficarão insultados por você parecer confiante em roupas “femininas” e podem achar necessário dizer algo para consertar o buraco que você acabou de abrir em sua falsa masculinidade. Isso é especialmente verdadeiro se eles estiverem com um grupo de amigos e sentirem a necessidade de provar o seu valor.

A visão de um homem que usa roupas que não "combinam" com o seu gênero será totalmente estranha para muitas pessoas. Se eles fizerem perguntas estúpidas, como se você está tentando ser mulher, essa é apenas a maneira deles de tentar entender o que eles estão vendo. Você pode considerar isso um mau funcionamento temporário da parte educada do cérebro enquanto eles processam o que seus olhos lhes apresentam. Alguns podem querer dizer isso de forma maliciosa, mas se enquadram na primeira categoria de insegurança. A maioria dos que fazem perguntas estúpidas ficarão simplesmente atordoados demais para perceber que estão fazendo isso. Nesse caso, uma explicação paciente e confiante será de grande ajuda.

Confiança é a chave

Como diz o cabeçalho: confiança é a chave para conseguir usar qualquer peça incomum em público e fazer com que pareça bonito. Isso se aplica tanto aos vestidos femininos quanto a um traje de palhaço. Há diversas pessoas por aí que não teriam confiança para usar uma fantasia de palhaço em público.

Saber o porquê de você gostar de usar essas roupas te ajudará a se sentir mais confiante. Isso não apenas permitirá que você se compreenda como ajudará a eliminar qualquer insegurança que possa ter sobre o que você está fazendo, mas também lhe dará uma explicação pronta para as pessoas quando inevitavelmente aparecer alguém perguntando o temido motivo.

A prática também é fundamental. No início, você deve usar essas roupas pela casa e senti-las. Você precisa estar acostumado com sua própria aparência e precisa ter experimentado o que fica bem em você antes de sair em público. Afinal, é uma mudança razoável de estilo.

Se você já faz isso há algum tempo e está pronto para dar o salto para a esfera pública, sugiro que você comece usando roupas híbridas. Talvez com algo masculino como um kilt. Você ainda pode receber olhares ocasionais de outras pessoas, mas já não será porque você está vestindo roupas tipicamente associadas a mulheres!

A partir daí, passe para saias combinadas com uma camisa masculina antes de usar vestidos completos. Lenta mas seguramente, introduza mais e maiores elementos do seu guarda-roupa feminino, em vez de usar tudo na primeira vez.

Se você está tentando criar coragem para sair de salto alto, comece com algo baixo e não tão chamativo. Não vá direto para as sandálias de salto agulha de 15cm que todos nós amamos. Em vez disso, opte por saltos mais baixos e quadrados. Muitos deles ainda têm um salto mais macio e silencioso, para que não atraiam a atenção como fariam os cliques dos saltos normais. As botas Chelsea ou qualquer tipo de bota curta são uma boa escolha para começar porque não são tão obviamente femininas. Tal como acontece com saias e vestidos, vá gradualmente até o par de saltos mais feminino.

Você deve incorporar tudo isso em roupas que lhe agradam. Se você puder se olhar no espelho e ficar satisfeito com o que está vestindo, isso aumentará sua confiança! Isso exigirá um pouco de experimentação, mas eventualmente você encontrará combinações adequadas para o seu corpo.

Outra maneira de aumentar sua confiança é conversar com pessoas que pensam como você. Existem inúmeros fóruns e encontros de homens que gostam de usar roupas que não correspondem ao gênero e muitos deles são veteranos em usá-las em público. Não há nada como apoio em grupo e ler ou ouvir sobre as experiências de outras pessoas para se encorajar!

Conclusão

Quando comecei a escrever este artigo, certamente não pretendia incluir tantas referências a fantasias de palhaço como fiz, mas quanto mais pensava nisso, mais eu percebia que usar uma saia em público não é muito diferente de usar uma fantasia de palhaço. Para usar saia ou salto alto como homem é preciso uma boa dose de confiança e você vai surpreender as pessoas.

É claro que não quero dizer que saias ou vestidos sejam de qualquer outra forma comparáveis aos trajes de palhaço. Para mim, trata-se mais do que é exigido de uma pessoa para sair em público em um traje desses. Mas, novamente, os trajes de palhaço são muito coloridos e barulhentos e, como tal, atrairão muito mais atenção do que uma roupa bem pensada que inclua, digamos, uma saia. Então, vou deixar você julgar qual seria mais difícil de fazer.

No final das contas, tudo se resume a ter confiança em se preparar para as reações das outras pessoas, entender sua motivação, praticar e ficar feliz com sua roupa. Quanto mais você enfrentar a esfera pública e se envolver com a comunidade de homens que pensam como você, tanto online quanto localmente, mais fácil será. Em algum momento, você vai se perguntar por que hesitou em fazer isso durante tanto tempo.

Você já saiu em público de saia, vestido, salto alto ou alguma outra peça de roupa feminina? Quais foram suas experiências? Como você criou coragem para fazer isso? Conte a sua experiência nos comentários abaixo!

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Crossdressers e super-heróis

Tranduzido de Gin-Kim

O que os crossdressers têm em comum com os super-heróis? Provavelmente nada que você esteja pensando, mas há uma questão que certamente existe em ambos: a identidade secreta. Os super-heróis geralmente mantêm sua identidade em segredo. A maioria dos seus amigos e familiares não saberiam que eles são justiceiros durante à noite ou até mesmo aquele herói mascarado que é celebrado pela população de sua cidade. Veja o Homem-Aranha, por exemplo, ele teve que se esforçar muito para manter sua identidade em segredo, mesmo que às vezes ele acabasse entrando em situações difíceis com sua família.

Isso não é muito diferente com os crossdressers. Embora eu não tenha as estatísticas oficiais, tenho quase certeza de que o número de crossdressers que estão no armário é cerca de 90% de toda a população de crossdressers. Ao ser exposto às pessoas que você conhece ou ama, você está se expondo ao alto escrutínio delas. Por que ele se traveste? Ele é um pervertido? Mesmo profissionalmente, você receberá um grande dedução no trabalho por aqueles que não têm a mente tão aberta. Por que correr esse risco? Estas são provavelmente algumas das razões pelas quais os crossdressers preferem ficar incógnitos.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2024

Como é ser transgênero?

Traduzido de Amber Poe

Quando você é uma pessoa transgênero e finalmente se sente confortável o suficiente para dizer ao mundo inteiro que você é transgênero, você passa a receber muitas perguntas. Abaixo está uma lista das minhas favoritas de todos os tempos:

- Como você descobriu que é transgênero?

- Você tem certeza que é transgênero... você nunca brincou com Barbies ou foi um homem afeminado, de onde vem isso?

- Você está planejando cortar a sua rola?

- Espera, você gosta de homens? Agora você é gay ou está em transição para ser heterossexual?

- Há quanto tempo você sabe que é transgênero?

E finalmente...
- Como é ser transgênero?

Então, “Como é ser transgênero?” Bem, ao contrário do que quero dizer da maioria das outras pessoas trans por aí, eu não sabia que era transgênero desde cedo. Eu não brincava com Barbies, nem tinha vontade de usar vestidos, nem de me maquiar, nem de entrar no armário da minha mãe para experimentar as roupas dela. Tive uma infância feliz e saudável quando menino. Então, admito que sou um novato na compreensão do que significa ser transgênero, mas acho que encontrei a maneira perfeita de descrever como é.

Acredito que esse cenário irá repercutir na maioria de vocês. Quantos de vocês tiveram um emprego logo após a faculdade? Seu primeiro emprego de tempo integral, espero que seja assalariado, com benefícios, cultura de escritório, tudo isso (o que eu sei que é raro hoje em dia, mas vamos lá). Pode não ser o que você queria fazer, não é o emprego dos seus sonhos, mas ei, é um começo, não é como se você fosse ficar aqui para sempre, certo... certo???

quarta-feira, 31 de janeiro de 2024

Minha jornada no crossdressing: encontrando o meu estilo

 

Traduzido de Destarte

Dizem que moda é o que você encontra nas vitrines enquanto estilo é como você veste essas roupas.

Eu sempre tive senso de estilo. Costumo combinar bem as minhas roupas (masculinas) e as cores. Não sou um desses caras que usa listras com xadrez. Gosto que minhas roupas fiquem bem e sirvam bem em mim.

Aprendi que vestir roupas femininas leva o estilo a um nível completamente diferente. É fazer álgebra em comparação com matemática básica.

Quando comecei a me montar, não tinha ideia de todos os diferentes estilos de vestidos e saias que existiam. Eu apenas pensava que eram apenas vestidos e saias. Agora eu sei que podem ser tipo lápis, em A, bata, etc, etc. Então, na minha jornada, também tem sido uma educação. Também me tornou uma grande admiradora de mulheres que sabem montar looks lindos.

Quando comecei a me vestir, gravitei em torno dos vestidos. Eu realmente gosto de sua aparência e de serem tão exclusivamente femininos. O problema é encontrar um estilo que fique bem no meu corpo masculino. Posso encontrar vestidos que gosto muito mas, quando os experimento, não lhes faço justiça. Então, por enquanto, costumo usar saias com muito mais frequência.

Questão paralela, aqui vai uma pergunta para você: Existe limite de idade para vestidos curtos? Ou é uma preferência estritamente pessoal? Quando estou navegando online, vejo muitos vestidos que gosto muito, mas, muitas vezes, são bem curtinhos. Então, quero saber se há verdade na filosofia de comprimento do vestido “apropriado à idade”? Mais de uma pessoa me disse que tenho pernas para usar saias e vestidos mais curtos, então esse não é o problema. E para ser sincero, na segunda-feira, quando usei minha saia plissada, usei-a como uma minissaia, onde ficava uns bons cinco centímetros acima do joelho, e acho que fiquei bem com ela.