quarta-feira, 10 de abril de 2024

Minha jornada crossdresser: quando a masculinidade interfere na vida pessoal

Traduzido de Destarte

Já te adianto que este não é um post sobre masculinidade tóxica. Não sou do tipo que critica homens que são muito masculinos. Acho até que eles têm o seu lugar na sociedade. Trata-se mais a respeito das normas sociais esperadas que tendem a atrapalhar a nossa vida cotidiana.

Estou numa idade em que a minha barriga está muito grande e minha bunda está muito pequena para manter minhas calças confortavelmente no lugar. Então, eu uso suspensórios (o que eu odeio). Em seguida, adicione o incômodo de ter sua carteira, chaves, telefone, etc, em suas calças cargo, o que adiciona peso puxando suas calças para baixo. A solução mais simples? Uma bolsa masculina. Então por que existe um estigma em relação a um homem carregando uma bolsa? Por que é considerado pouco masculino um homem carregar um dispositivo que lhe permite armazenar suas coisas com segurança? Não faz sentido na nossa sociedade que isso seja considerado errado pela população em geral.

Outra coisa que enche o saco são as cores. Por que "homens de verdade" não podem usar rosa? Sim, eu sei que tem homens que usam camisas rosa, mas, via de regra, os homens não usam rosa ou qualquer outra cor considerada feminina. Não devemos permitir que algum código masculino dite o que vestimos ou como seremos percebidos se os usarmos.

Mantendo esse tema sobre o que vestimos, e o tecido? Posso dizer que os homens não têm a menor ideia do quão confortáveis são alguns tecidos de roupas femininas. Eles são tão macios, mas macio não é algo masculino, então não podemos usar, certo?

Bom, eu sou alguém que entende que os humanos nascem, fisicamente, com um sexo. Um bebê com pênis é um homem biológico. Isso não é conjectura, é um fato.

O tecido em si, por outro lado, não foi criado com um sexo definido. É verdadeiramente neutro. Não lhe atribuímos um gênero até que seja transformado em uma peça de roupa; um vestido de verão é feminino, um terno é masculino. Quem decide essas coisas? Como chegamos a este lugar onde as roupas são definidas por gênero? Não deveríamos poder usar o que quisermos, quando quisermos e onde quisermos, sem sermos julgados como não normais?

Se os homens percebessem o que as mulheres sabem sobre roupas, a atitude dos homens mudaria. Por exemplo. Mulher não usa vestido de verão no verão para se sentir feminina, ela usa porque é algo bem mais fresco do que short e camiseta. Os homens transpiram no calor enquanto as mulheres ficam fresquinhas usando este tipo de vestido leve e arejado.

Outra coisa que a masculinidade atrapalha é a maquiagem. Eu, um homem de verdade, não uso maquiagem. Bem, eu envelheci, minhas sobrancelhas ficaram mais finas, assim como meus cílios, a tal ponto que você mal consegue vê-los. Então, eu poderia usar lápis de sobrancelha e rímel para realçar o que tenho, mas, isso pareceria muito "viado", muito feminino, então ando por aí sem esses recursos realçando minha aparência. Por que não é masculino melhorar sua aparência, especialmente se isso faz você se sentir bem consigo mesmo?

Tenho certeza de que existem outros vários exemplos de coisas que a masculinidade proíbe os homens de fazerem, sob o risco de perderem sua carteirinha do clube dos homens. Acho que isso está errado. A sociedade não deveria decidir o que é masculino e o que é feminino. As pessoas deveriam poder ser quem são, sem medo de reticências ou de assédio.

Eu pessoalmente adoro vestir saias e vestidos. Gosto de usar maquiagem e vestir meus peitos de silicone. Eu gosto de parecer feminina, então por que isso está errado? Isso não diminui minha masculinidade. Eu ainda sou um homem. Eu ainda sou um protetor. Sou o mesmo homem que se deparou com diversos edifícios em chamas e se colocou em risco para ajudar outras pessoas feridas na minha época de bombeiro. Ainda sou o mesmo homem que está disposto a se colocar em perigo para proteger outro ser humano. O que visto não tem nada a ver com minha coragem ou minha capacidade de ser um “Homem”.

Destarte, autora do texto
6 Comentário(s)
Comentário(s)

6 comentários:

Anônimo disse...

Infelizmente a população é muito tóxica para esse tipo de aceitação. Aos poucos a inclusão social está nos dando mais abertura para sermos livres, lento, mas está caminhando. Enquanto isso vamos vivendo nossos desejos e vontades ocultas. Amo me vestir de mulher e admiro todas nós crossdresser!

Anônimo disse...

Meu contato caso queiram compartilhar experiências: garotogarota@yahoo.com.br

joseanemariasilva@rocketmail.com disse...

Eu concordo... sou casada, 45 anos, 1,68. Passei a usar jeans feminino e cada vez mais, acessórios femininos. Sou CD mas trouxe isso de forma, penso eu, discreta para o cotidiano. Se não estou com um jeans, e pulseira de berloque, não me sinto "eu"...

Manu P. disse...

Eu nunca me identifiquei com essa performance masculina. Desde criança, me identificava com o feminino. Queria brincar com as meninas, brincava de ser menina.

Cresci ouvindo aquelas máximas machistas que nos levam a acreditar que o que é feminino tem menos valor. Então, por que um homem iria gostar de coisas femininas?

Agora, depois de muita terapia e uma vida tentando negar, decidi encarar a realidade e mudei algumas coisas na minha vida (sexual e social). Tenho tentado abandonar essa ideia de "isso não faz de mim menos homem" pq eu nem quero esse rótulo de homem. Ser homem, ser mais ou menos homem começa a perder valor, pra mim, e eu começo a me sentir mais leve, sem necessidade de provar algo pra mim e para os outros.

Eu ainda sou eu e isso é o que me importa.

Anônimo disse...

Já experimentou esmaltes (nós pés é mais fácil de esconder) e sapatos unissex mais puxados para o feminino?

Anônimo disse...

Oiê! Já sim: mocassim, mules e principalmente botas. Comecei com coturnos e chelseas mas já evolui um pouquinho...rs AMO prata, logo, uso pulseiras de berloque e anéis. Quanto às unhas, tiro a cutícula mas não consigo deixá-las muito compridas não, mas mais por ansiedade. Mas já usei base e é ótimo.