segunda-feira, 9 de maio de 2016

Enquete - Quando começou o seu crossdressing?

Converso com pessoas de diversos lugares pela internet e acabo descobrindo muitas histórias sobre como iniciou o crossdressing na vida delas. Percebi que, em muitos casos, ele se inicia quando criança e me incluo nesse pessoal.

Não lembro exatamente quantos anos eu tinha, mas lembro que meu primeiro contato foi antes dos 10 anos de idade e foi com uma meia fina. Eu encontrei uma peça da minha mãe perdida no quarto dela e só de tocar nela eu senti que eu precisava experimentar aquilo e, desde então, comecei a adorar muitas coisas do mundo feminino.

A sensação, no sentido tátil, de pegar e vestir uma meia fina é única, ainda mais para quem tem um armário masculino com cortes e tecidos super limitados. Eu sinto isso até hoje quando tiro a minha calça jeans masculina e visto um vestido com tecido diferente, chega a parecer um abraço vestir essas peças =D

Compartilhe conosco quando foi o seu primeiro contato com o crossdressing e, se você se sentir a vontade, compartilhe a sua história nos comentários!

8 Comentário(s)
Comentário(s)

8 comentários:

Anônimo disse...

Meu primeiro contato foi aos 7 anos. Fui tomar banho na cada da minha avó e tinha uma calcinha da empregada dela pendurada no registro do chuveiro. Me lembro que era uma tanga de lycra vermelha. Vesti e me senti muito feliz....era algo novo. Depois disso, me lembro que minha mãe uma vez pegou uma bolsa cheia de roupas da filha de uma amiga pra doar no bazar da igreja. Essa bolsa ficou aqui em casa por alguns dias e na primeira oportunidade vesti todas as roupas....tinha vestido, blusinha, calça e pra minha sorte até sutiã. Passado algum tempo, minha mãe que era costureira estava fazendo um vestido pra uma menina, e pra minha surpresa ela vestiu o vestido em mim pra ver como estava. Era um vestido azul rodado. Foi a maior experiência da minha vida, pois a minha mãe dizia que estava lindo. Depois disso comecei a fazer minhas próprias calcinhas com cuecas, eu cortava as laterais pra deixá-las cavadas.... e fazia também vestidos com fronhas de travesseiro, fazia laços e amarrava na cintura....ficavam lindos. Me sentia uma verdadeira menina. Mas foi só com 15 anos que comprei minha primeira calcinha... e de lá pra cá foram muitas. Tenho certeza que minha mãe sabia que eu usava calcinha, mas ela nunca disse nada. Hoje sou casado e minha esposa sabe que uso calcinha, mas é um inferno, ela sempre joga na minha cara que sou gay��

Lilica Lana disse...

Meu primeiro contato foi com apenas 4 anos de idade...eu usava as calcinha da minha irmã e foi uma pessoa importante para eu ser cd pois sempre me apoiou...mas desde então nunca mais deixei de usar no mínimo uma calcinha....

Samantha Oliver disse...

4 anos de idade? Como você lembra disso xD
Brincadeira, deve ter sido algo realmente marcante!

Samantha Oliver disse...

Nossas histórias de quando eramos mais novas costumam ser divertidas! Você foi a primeira que eu soube que fabricava as próprias calcinhas, muito criativa =)

Uma pena a situação com a sua esposa... na minha casa a gente precisou de muita conversa para se entender mas hoje somos felizes e ela tem certeza que, apesar da existência da Samantha, eu só quero estar com ela!

Anônimo disse...

Eu era criativo. Aliás, ainda sou. Eu já até me acostumei com minha esposa e há não me ofendo mais

Danny cdzinha disse...

Comecei com 13 anos. Minha irmã tinha muitas roupas e quando eu ia tomar banho sempre pagava algumas do cesto de roupas sujas pra experimentar. Quando ficava sozinha em casa também colocava algumas perucas que ela tinha para fantasias de halloween, foi nessa mesma época que comecei a masturbar meu cuzinho também. Minha vontade era de sair de menininha na rua e me assumir de vez mas tinha medo. Com o passar dos anos a vontade de me vestir só aumentava e cheguei até a tomar hormônios mas parei por que sempre tive namoradas e meu pau não queria mais levantar. Hoje com 29 anos, sou casado e minha esposa sabe do crossdressing, tenho algumas roupas que peguei dela pois ela iria doar, na semana passada comprei meu primeiro brinco junto com minha esposa e foi uma experiência incrível (entendi porque as mulheres ficam tão felizes quando compram algo). Comprei também uma peruca.
Eu e minha esposa sempre brincamos de inversão (sem me montar) e adoro quando ela me come. Apesar dela saber do meu crossdressing ela diz que não quer me ver montada, que ainda é algo muito novo pra ela.

Anônimo disse...

Meu crossdresser começou há uns dois anos. Comecei a sentir vontade de me montar e, aos poucos, fui comprando roupas femininas. Inicialmente, cinta liga,calcinhas e soutiens, espartilho é uma peruca Chanel loira. Depois passei a comprar acessórios, brincos, pulseiras, anéis ( amo anéis) maquiagens e calçados. Fiz amizade com a vendedora da loja de maquiagem e abri o jogo com ela. Ela começou a me ajudar, sobre o que comprar, como usar. Fui sentindo segurança e enviei uma foto minha montada, assumindo o nome de Micaela Prado. Há alguém dias, minha esposa chegou em casa antes do horário habitual e me pegou no meio da montagem. Conversei com ela sobre o assunto e ela, não somente entendeu, como disse que me iria comigo comprar roupas e sapatos. Até me disse para comprar de salto agulha. Pergunte a ela se ela me acompanharia eu estando montada. Qual foi a minha surpresa: ela não somente respondeu que sim mas que iria me produzir. Agora, penso em viajarmos e levar minhas roupas para sairmos à noite, e eu, é claro, de Micaela. Bjs.

Anônimo disse...

Olá meus amores, voltei aqui para continuar a descrever minha vida Cross. Como feira anteriormente, minha esposa aceitou bem o meu lado cd e, pasmem, me montei para ela, com tudo o que tem direito. No sábado, já que não posso sair montada perto de casa, fiz uma maquiagem bela, básica mas linda. Compartilhamos minhas maquiagens e acessórios. Ela saiu com um bracelete meu é um batom matte lilas maravilhoso. Quando estamos em casa, sou tratada por ela com o meu nome Cross, Micaela. Ah, ela vai me presentear com um sapatinho lindo e,hoje, no armário, tenho minhas roupas arrumadas no meu espaço próprio. Bjs e até a próxima.��